Gestão de Desporto

março 30, 2006

2º Congresso Internacional de Futebol do ISMAI

Está de volta o Congresso Internacional de Futebol ao ISMAI, de 20 a 21 de Abril, no Auditório do ISMAI. Os tópicos principais deste 2º Congresso, são a "Medicina Desportiva", "Arbitragem" e "Futebol de Alto Rendimento", estando presentes vários especialistas de cada área. Destaque ainda para as homenagens a dois senhores do futebol português, o Pantera Negra, Eusébio da Silva Ferreira e o Presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa.
Não sei se, por impossibilidade ou por opção, mas este programa perde, em não trazer os homens que gerem o nosso futebol, ou seja dum outro tópico neste Congresso, a Gestão do Futebol. Provavelmente o tema mais polémico a seguir à "Arbitragem", mas decisivo em relação ao desenvolvimento do Futebol e de certeza teria muita mais participação dos alunos de Gestão de Desporto. Esperemos que para o ano, tenham isso em conta...

março 28, 2006

VISA em crédito após os Jogos de Inverno

Mais um exemplo, da importância e da relevância na aposta no desporto para revitalizar, fortalecer e penetrar nos mercados de vendas tanto de produtos como de serviços, da mais ampla variedade. Neste caso temos a empresa de serviços bancários, a VISA, que apostou nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno de Turim, para fortalecer o mercado italiano e no lançamento de novos produtos. O resultado foi extremamente positivo, por não só em Turim mas por toda a Itália terem sido alterados para novos níveis, a venda destes serviços, bem como a propagação da VISA.

Dados em Turim, mostram que o pagamento de serviços da organização, processaram mais de $9 milhões em vendas, nos terminais dos pontos de recepção dos Jogos e na "Super Store" durante os 17 dias dos jogos. O movimento do ATM, foi mais alto do que em Atenas ou Salt Lake City, como também o valor médio de transações VISA, tendo esta também registado um aumento do negócio, dos seus "smart cards".
Com o seu patrocínio em posição para os Jogos Olímpicos de 2012, o vice presidente da VISA, Tom Shepard, diz que será possível, focalizarem-se na estratégia a longo prazo para Beijing, Vancouver e Londres. "Em Beijing o desafio é a consciência do consumidor, emitindo novos cartões VISA," disse ele. "Nós temos boas relações de trabalho com o Banco da China (BOCOG´s parceiro bancário) e colaboraremos com eles em desenvolvimento de novos pontos de venda." "Precisamos de trabalhar perto do comité de organização, que esperamos que nos lidere, para a abertura de leis e restrições governamentais," diz Shepard.

março 24, 2006

APOGESD define estratégia para 2006-2009

A Associação Portuguesa de Gestão de Desporto, que em 1996, veio ocupar um vazio institucional, define agora nova estratégia para os próximos 3 anos. No que a APOGESD se tornou agora, é o resultado de lideranças de rara qualidade cientifica e humana. Já o Presidente da Liga Portuguesa de Futebol, o Major Valentim Loureiro, afirma que "o desenvolvimento e sucesso do projecto da APOGESD afigura-se como fundamental, tendo presente a imperiosa necessidade de, no desporto profissional, existir uma gestão económico-financeira rigorosa e realista."
_
Os desafios que se encontram agora, são certamente, dierentes do passado, e para isso o novo presidente da APOGESD, o Prof. Gastão Sousa lidera agora nova estratégia para a organização. A estratégia baseia-se em três eixos:
Eixo 1 - "Valorização, Representatividade e Conhecimento" (potenciar e valorizar a nossa profissão de gestor de desporto);
Eixo 2 - "Excelência e Inovação" (responder às necessidades dos associados);
Eixo 3 - "Sustentabilidade e Geração de Valor" (criação de propostas de valor únicas para os associados de forma a garantir a sustentabilidade da organização).

_
Esperemos que com esta nova liderança, a APOGESD, cresça tanto ou mais, do que cresceu até aqui. E que principalmente consiga valorizar mais, a profissão do Gestor do Desporto, em benefício do crescimento e desenvolvimento do desporto nacional, onde neste momento quase não conseguimos apontar modalidades, autarquias ou clubes como exemplo de sucesso de gestão desportiva.

março 21, 2006

"Prós e contras" RTP1 - Gestão do Futebol

Os modelos actuais da gestão do futebol estiveram em análise no debate televisivo "Prós e contras" de segunda-feira, na RTP 1. O programa conduzido por Fátima Campos Ferreira, teve como convidados principais o director-executivo da Liga, Cunha Leal, o presidente do ex-primordivisionário Campomaiorense, João Nabeiro, o ex-presidente do Sporting, José Roquette, o antigo ministro das Finanças, Bagão Félix, o economista Pôncio Monteiro e o jornalista Rui Santos. A relação entre os clubes e a banca, a gestão do património, as fontes de receita e os salários em atraso foram os principais tópicos do programa.

O ex-presidente do Sporting, José Roquette, começou por referir que "a euforia vivida no Euro2004 fez esquecer o balanço das contas". Os clubes tiveram que fazer um grande esforço financeiro para construir novos estádios e endividaram-se bastante mais perante as entidades financeiras. Referindo também que o sporting através do seu project finance estava no bom caminho, mas "uma gestão menos competente" provocou a crise que agora o clube atravessa. Precisando agora o clube, de alienar o imobilizado não desportivo, por se ter concluído que os clubes não são bons gerentes de imobilizado não desportivo. E também, porque esse mesmo dinheiro resultante da alienação coloca outra vez o sporting no "trilho" correcto, mas sem mais margens de manobra, sobre o risco de não ser possível outra gestão incompetente.

Relativamente à criação das SAD´s, o economista Pôncio Monteiro, referiu que os principais argumentos para a constituição das SAD´s, tinham sido para "cumprir obrigações fiscais" e permitir uma gestão mais coerente e profissional dos clubes. Questionou-se e atacou o Governo e a Liga de Clubes, se não era preciso profissionalizar os campeonatos e mudar a actual lei de bases do desporto que só faz abrandar o desenvolvimento do nosso futebol.

Para o antigo ministro das Finanças, Bagão Félix, " a evolução (do futebol) tem sido positiva" mas aponta que o país não tem mercado suficiente para este futebol - "é um mercado estreito, muito concentrado e pouco competitivo" e que "o futebol português é uma fantasia". Questiona-se se 8 clubes a 4 voltas, não seria uma boa solução, devido à existência de mais confrontos entre os clubes de topo fazendo encher mais vezes os estádios de todos os clubes. Apontando também para a competitividade desta Liga Betandwin, ter tido em 75 anos apenas 5 campeões, enquanto nas melhores ligas europeias terem ultrapassado a dezena.

O presidente do ex-primordivisionário Campomaiorense, João Nabeiro, deixando de fora os 4/5 principais clubes portugueses, aponta que os restantes clubes têm o "equilíbrio de contas através da venda dum jogador" e na maior parte das vezes "atiram" as suas contas para um patamar mais alto, pensando sempre que nessa época vendem um jogador a bom preço para equilibrar as contas, o que é uma autêntica falácia. Clubes como o Vitória de Setúbal, Farense, Ovarense, Estoril, Marco e Campomaiorense já comprovaram, que as crises financeiras podem chegar a todos, por "gestões" incompetentes.

Quem acabou por fazer mais acusações ao "futebol português" e mais propriamente ao director-executivo da Liga, Cunha Leal, foi o jornalista, Rui Santos. Este começou por perguntar, quantos mais projects finance seriam precisos, para manter o passivo dos clubes controlados. Referindo que o futebol português precisa dum "choque futebológico" e que "o rigor de alguns clubes é apenas uma falácia". Apontando também a responsabilidade a Cunha Leal, acusa que "a Liga é olhada como uma gestora de influências para a arbitragem" e que essa mesma Liga deveria ser rigorosa com as contas dos clubes, apontando que "há uma grande suspeição ás contas dos clubes".

Concluindo, foi pena que não tenham estado presentes os principais dirigentes do futebol, para se conseguir retirar ilações, dos que mais podem mudar o estado do futebol actual. Mas também, percebendo que algumas das soluções dos problemas podem passar pela: delimitação entre os profissionalismo e amadorismo, da aplicação dum tecto salarial para os jogadores, de pagar aos jogadores conforme a produtividade dos mesmos e de se formar uma coopetição entre os clubes portugueses. Agora é esperar para ver, se vamos ter algum resultado proveitoso deste debate...

G-14 pede mais jogos para a Liga Milionária

Os clubes de topo da Europa, querem uma mudança no formato da Liga dos Campeões para aumentar o número de jogos.

Mudanças em 2003 levaram a mais jogos de "mata-mata" mas a menos jogos no global e o G-14, representando 18 dos maiores clubes da Europa, quer um novo formato.
"Não estamos a falar em duplicar o número de jogos, poderiam-se adicionar só mais um ou dois" disse à BBC Sport o vice-presidente do Barcelona Ferran Soriano.
Embora em 2003 as mudanças tenham sido bem-vindas, os clubes de topo da Europa ficaram furiosos, porque quando o formato mudou foi inicialmente proposto em 2002 mas eles não foram consultados. O novo formato assegurou que as equipas tenham que fazer 12 jogos, em vez dos 16, para chegar à final. "Nós também queremos garantir competição em todos os jogos - em alguns dos últimos jogos da fase de grupos não há competição porque o primeiro e o segundo lugar já estavam decididos" acrescentou Soriano.
G14 quer que o formato mude pelo menos até 2009 - mas preferencialmente no início da época de 2008.

março 19, 2006

BOLA FURADA


Bolas na trave, dívidas nas contas...

Os grandes sobrevivem da gestão financeira permitida pelos bancos.
Os pequenos vão morrendo sem se dar por isso.
Nunca os clubes estiveram tão endividados...Salários em atraso... Património à venda...
Receitas hipotecadas...
Afinal para que servem as SAD’s?
Quem paga o futebol português?
Dois anos depois do Euro; a bola está furada.



Cunha Leal, director-executivo da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, João Manuel Nabeiro, ex-presidente do Sporting Clube Campomaiorense, José Roquete, ex-presidente do Sporting Club de Portugal, Bagão Félix, economista, Pôncio Monteiro, empresário, e o jornalista Rui Santos vão estar presentes neste programa, só tenho pena que não esteja presente nenhum Licenciado em Gestão do Desporto.

Não percam Segunda-Feira o programa Prós e Contras na RTP1 ás 22.30

É do nosso interesse...

Marca Bundesliga

Num estudo realizado na pela Liga de Futebol da Alemanha, a Bundesliga é uma das marcas mais fortes do país, com uma taxa de reconhecimento de 98%. Perto de 34 milhões de pessoas acompanham regularmente a liga daquele país. Também as dívidas dos clubes de futebol das duas principais divisões alemãs, têm diminuído, provavelmente fruto do interesse dos alemães, pela Bundesliga. Essa dívida dos clubes na época 2003/04 atingia os 770,7 milhões de euros, enquanto na última época reduziu para os 716,7 milhões de euros, um decréscimo significativo de cerca de 54 milhões de euros, apenas com uma época de distância. Um valor interessante, para no final da época ser novamente comparado.

"Check-up" gratuito ao seu clube desportivo

Numa iniciativa, podendo quase dizer inédita, o Instituto Superior da Maia mais propriamente o seu CIDD - Centro para a Inovação e Desenvolvimento do Desporto, está a oferecer um "check-up" gratuito a 20 pontos vitais dum clube desportivo da zona do Grande Porto.
O objectivo desta metodologia (ClubeInova) permite aos agentes desportivos, redefinir estratégias e procurar alternativas que potenciem o realinhamento do clube desportivo.
.
"Trata-se, enfim, de realizar uma transferência de tecnologia para os clubes desportivos, promovendo a sua inovação através de uma avaliação/diagnóstico do seu estado actual e a definição dos caminhos prioritários. Estando na sua fase piloto, este serviço é completamente gratuito e reservado a clubes localizados na região do Grande Porto. O número de clubes beneficiados também terá que ser obrigatoriamente limitado, embora se preveja a realização de novas edições do projecto, tendo os clubes inscritos prioridade no atendimento. Outra questão importante é o anonimato que é assegurado aos clubes inscritos: apenas os responsáveis dos clubes terão acesso ao relatório final que engloba uma «radiografia» pormenorizada da realidade interna e externa do clube, uma análise estratégica, a definição de linhas prioritárias de desenvolvimento e uma metodologia simples de acompanhamento e alinhamento estratégico do clube. "
Fonte: ismai.pt
.
As inscrições estão limitadas até dia 27 de Março e a clubes desportivos do Grande Porto.
.
Mais informações em www.ismai.pt

março 16, 2006

Shortlist para os Prémios da Indústria do Desporto Inglês

"The Sports Industry Awards" revelou a sua shortlist para 2006, enquanto a contagem começa para a cerimónia deste ano.
As seguintes marcas de desporto, media e corpos gerentes passaram para a fase de apreciação dum júri, chefiado pelo apresentador da BBC John Inverdale.
O vencedor de cada categoria irá ser anunciado nos Prémios, dia 27 de Abril em Londres.

SHORTLIST DE 2006

Melhor kit desportivo projectado
Aqua Sphere - Eagle Swimming Goggle
ASICS - Gel-Kinsei
Gilbert Rugby - Xact Product Range
Prince - O3 Silver
PUMA UK - Complete Trailfox
Woodworm - Flame Cricket Bat

Programa Comunitário Inglês para o Desporto
Bank of Scotland - Midnight League
Manchester City FC - Something Good in the Neighbourhood!
NatWest - CricketForce
npower - Active
Warrington Wolves - The Foundation
Wear Valley DC - WOW!

Melhor Uso do Foto-receptor numa Campanha de Desporto
adidas - adidas 1
Coca-Cola - Win a Player
Flora - Flora Family Marathon
HP Sauce - Brown is the New White
RBS - Jack Nicklaus Commemorative £5 Note
T-Mobile - The T-Mobile Great Escape

Melhor Patrocínio dum Evento ou Programa Desportivo
Brit Insurance - Super Series Squash Finals
Coca-Cola - The Coca-Cola Football League
Ford - UEFA Champions League
npower - Ashes Test Series
Sanex - Urban Beach
Volvo Car UK - The Volvo Golf Club

Melhor Uso de Novas Telecomunicações no Desporto
Betfair - John Smith's Grand National
Ladbrokes/Manchester Utd - Bet in Play Live Odds
Manchester Utd - DVD Cardz
Orange - Lampard's 3G Video Diaries
Racing UK - Bet to View

Prémio de Patrocínio Desportivo Europeu
Castorama & B&Q - Ellen MacArthur’s Round the World Record Attempt
Ford - UEFA Champions League
Shell - Shell-Ferrari Technical Partnership
Visa Europe - Athens 2004 to Torino 2006

Melhor Promoção de um Desporto por uma Empresa
BPA - Visa Paralympic World Cup
ECB - England's Big Summer
IRB - Total Rugby
LTA - Ariel Mini-Tennis Campaign
The FA - Women's Euro 2005
The Football League - Fans of the Future

Melhor Patrocínio de um Desporto Colectivo ou Individual
B&Q - Ellen MacArthur's Round the World Record Attempt
Lucozade - Fuelling the Midfield Engine - Steven Gerrard
O2 - England Rugby
RBS - Jack Nicklaus
Travelex - 'Like Jonny we hate to be beaten'
Vodafone - England Cricket Team

Melhor Cartaz Desportivo / Propaganda Publicada
KooGa – Made for Rugby Clubs
PUMA UK – How hard can it be?
Reebok – I am what I am
Wickes – ‘Football ads’

Melhor Revista Desportiva
Ace Tennis Magazine
Champions
FourFourTwo
Nike - Goodbye Hoof Hello Nutmeg
Observer Sport Monthly
re:play

Melhor Cobertura Desportiva por um Jornal
The Daily Telegraph
The Guardian
The Independent on Sunday
The Sun
The Sunday Times
The Times

Melhor Comercial do Desporto na TV

adidas – Impossible Field
Barclays – Shout
BBC Sport – Keep up with football on the BBC
Nando’s – Portuguese Cricket Forever!
adidas – Last Man Standing
BBC Sport – Wimbledon on the BBC

Marca Desportivo do Ano
Chelsea FC
Extreme
London 2012
PUMA
The Brit Oval
The Football League

O evento atrai mais de 1.000 centros de decisão de marcas, media e corpos gerentes envolvidos no comércio mundial do desporto, e é recebido por uma selecção dos mais bem sucedidos desportistas do Reino Unido

Para quando um evento português como este? De certeza, não nos próximos anos... Cabe-nos a nós futuramente, contribuir para o desenvolvimento dum projecto destes, que certamente, contribuiria muito para o futuro do desporto nacional.

março 13, 2006

Barcelona-Benfica...Em numeros...

Para melhor percebermos as diferenças entre 2 clubes de galaxias muito distantes...

Graças à gestão Laporta, o clube catalão redescobriu o êxito desportivo e financeiro. O FC Barcelona deverá alcançar receitas globais de 240 milhões de euros na época de 2005/06 – um valor completamente fora da órbita do futebol português. O orçamento da secção de basquetebol do Barça, por exemplo – 16,2 milhões de euros – é superior ao orçamento de 15 dos 18 clubes da divisão principal do nosso futebol.

O Barcelona, no entanto, passou vários anos longe da elite europeia em termos de receitas e projecção económica. Quando Joan Laporta chegou à presidência do clube, no Verão de 2003, o Barcelona não passava da 13ª posição europeia em termos de proveitos – atrás de Newcastle, Roma ou Borússia Dortmund, clubes com muito menos peso desportivo e histórico. Dois anos mais tarde, porém, o Barcelona entrou definitivamente no “grupo dos 200 milhões” – o restrito grupo de cinco ou seis clubes (Real Madrid, Manchester, Milan, Chelsea, Juventus e Barcelona) que têm receitas de mais de 200 milhões de euros anuais.

Mas nem tudo são rosas. A dívida que se foi acumulando ao longo dos anos 90 e, sobretudo, nos primeiros anos deste século, continua a ensombrar o dia-a-dia do FC Barcelona. Este fardo pesado – a “mochila que pesa sobre as nossas costas”, na expressão repetida muitas vezes pelo vice-presidente para a área económica, Ferran Soriano – foi-se acumulando e ainda demorará vários anos a desaparecer. O Barça deve actualmente 205 milhões de euros.

No início da época outro objectivo considerado fulcral para o saneamento do clube é o abrandamento da subida dos encargos salariais. “A chave do problema reside em encontrar um equilíbrio que mantenha os salários abaixo de 55% das receitas”.

Na época passada, os custos salariais do plantel de futebol (76,5 milhões de euros) corresponderam a 37% das receitas totais, enquanto os custos salariais totais (todos os atletas de todas as secções do clube, mais restantes empregados) atingiram os 110 milhões – ou 53% das receitas.

Uma das primeiras medidas da gestão Laporta foi aumentar as receitas provenientes da quotização. O objectivo da campanha “el Gran Desafío” – aumentar em 20% o número de sócios do clube – foi plenamente atingido e o número actual de sócios ronda os 134 mil. A direcção do Barcelona empenhou-se, igualmente, em reduzir o passivo e aumentar as receitas através das fontes tradicionais: venda de bilhetes, marketing/merchandising e venda de direitos aos meios de comunicação. O clube continua a dar-se ao luxo de manter as suas camisolas de futebol sem patrocínio comercial – um negócio que renderia, certamente, entre 19 e 25 milhões de euros anuais.

Antigamente, o modelo de negócio de um clube de futebol era como o de um circo: as receitas provinham da venda de bilhetes. Nos anos 90, a coisa complicou-se com a entrada em cena dos direitos pagos pelas televisões privadas. No século XXI, a gestão de um clube parece-se muito com a de uma empresa de entretenimento, como a Warner Bros. Eles têm o Bugs Bunny, nós temos o Ronaldinho”,


Moral da Historia: Em termos de passivo as diferenças não são muitas...já as receitas...

Uma das questões que me parece muito pertinente discutir é para quando a criação de um tecto salarial para os clubes, isto é,limitar os clubes a apenas poderem gastar uma percentagem x das receitas em gastos com pessoal(salários de jogadores principalmente)??
A diferenciação aconteceria de uma forma natural pois nem todos conseguem ter receitas para ter "Bugs Bunnys" logo os grandes clubes não seriam prejudicados mas a grande mudança seria terminar de vez com casos como o do Setubal por exemplo...

Ja dizia o meu avozinho, "quem não tem dinheiro não tem vicios"...

Saudações Desportivas



SAD´S

O administrador da Juventus (+2,75%), Antonio Giraudo, reafirmou a confiança do conselho de administração da sociedade num resultado positivo no exercício de 2005/06. Giraudo anunciou durante a Star Conference 2006 que a Juventus conta alcançar lucros graças a "algumas operações de tipo imobiliário". A sociedade poderá voltar a distribuir dividendos aos seus accionistas, depois de três anos em que isso não aconteceu. Na época passada, a Juventus teve um prejuízo líquido de 3 milhões de euros, mas o primeiro semestre do ano corrente terminou com um prometedor lucro de 2,1 milhões. Antonio Giraudo anunciou, ainda, a intenção de vender os "naming rights" do estádio Delle Alpi - cuja remodelação terá início em Junho - por uma verba que rondará os 10 a 12 milhões anuais com um contrato que terá uma duração de 12 a 20 anos.

Pelos vistos não são só as SAD´S portuguesas a apresentarem prejuizo, a recorrer á venda do patrimonio e a hipotecarem as receitas futuras...

Saudações Desportivas

Wayne Rooney em livro


Wayne Rooney assinou o maior contrato na publicação de livros relacionados com desporto da história. O jogador do Manchester United e avançado da selecção inglesa, assinou um contrato de 12 anos com Harper Collins, para escrever um minímo de 5 livros para um avanço de 5 milhões de libras mais direitos. O primeiro livro de Rooney, chegará às prateleiras no final de Julho de 2006 e será uma autobiografia da sua vida, já incluindo o Mundial deste verão.

março 12, 2006

A paixão pela Gestão do Desporto

Este Blog, foi criado com o intuito, de poder dar algum contributo tanto à divulgação desta variante da Gestão - a Gestão do Desporto - como, um contributo à especificidade da mesma. Criá-mos assim um espaço de reflexão que até, nos possa auxiliar a todos na actividade diária, mantendo-nos actualizados sobre as mais recentes novidades e tendências da Gestão do Desporto, como pela simples paixão do conhecimento da Gestão do Desporto.
O conteúdo do blog, conterá todos os aspectos relacionados com a área. Desde particularidades de eventos desportivos, de contratos de patrocínios e jogadores, de acções de formação/workshops, à simples mudança de dirigentes desportivos em cargos importantes. Tentaremos estar em cima do acontecimento... Provavelmente também poderemos, fazer alguns resumos semanais sobre determinada disciplina do nosso curso e essa parte, dirigida a todos os nossos colegas de faculdade.
Somos alunos do curso de Gestão do Desporto do Instituto Superior da Maia, portanto parte interessadissima, na divulgação e desenvolvimento da área. É para isso que "aqui" estamos!
Estamos abertos a qualquer tipo de contributos, para o desenvolvimento do blog e o desenvolvimento também do objectivo principal, a Gestão do Desporto. Se és da área ou simplesmente também gostas da área, pela paixão do desporto em si, participa!